O TEMPO FELIZ QUE PASSOU

O segundo longa-metragem do premiado diretor paraibano André da Costa Pinto, conta a história de uma família que está tanto em decadência econômica quanto afetiva, de relações pessoais que, a partir da morte da mãe – a grande deflagradora de toda a situação crítica que se encontram –, reúnem os pedaços de cada um para poder remontar a colcha de retalhos para entender a vida. Quem vive Graça, a protagonista do filme, é Guta Stresser, segunda parceria com o realizador.

Depois de viver no Rio de Janeiro, afastada da família por 20 anos,a protagonista retorna ao interior da Paraíba quando toma ciência da morte da mãe. Nesses anos de ausência norteados por desavenças, ela busca sua reestruturação em reencontros inesperados e nas lembranças trazidas pelo passado.

Envolvendo a premissa da volta, o cenário onde foi rodado o filme é também a cidade natal do diretor André da Costa Pinto, que serviu de pano de fundo para seus dois primeiros curtas, os premiados A Encomenda do Bicho Medonho (2006) e Amanda e Monick (2008).

O projeto está em fase de finalização e buscando parceiros.